sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Exercícios de História Medieval: Do Feudalismo à Crise do Século XIV (Ensino Médio)


Sabendo que grande parte dos professores e estudantes buscam pelas soluções dos seus problemas na Internet, resolvi postar neste espaço alguns exercícios retirados de provas de vestibulares. Vale ressaltar que será muito mais importante, o professor modificar os exercícios de acordo com o que foi ensinado na sala de aula. Afinal de contas, cabe ao professor ter o conhecimento da realidade da turma que leciona.

Veja também:

Questões de ENEM e Vestibular
Questão 01. (Fatec-SP) Uma das características a ser reconhecida no feudalismo europeu é:

a) A economia do feudo era dinâmica, estando voltada para o comércio dos feudos vizinhos.
b) A sociedade feudal era semelhante ao sistema de castas.
c) As relações de produção eram escravocratas.
d) Os ideais de honra e fidelidade vieram das instituições dos hunos.
e) Os servos estavam presos a várias obrigações, entre elas o pagamento anual da capitação, talha e banalidades.

Questão 02. (UFPA) Nas relações de suserania e vassalagem dominantes durante o feudalismo europeu, é possível observar que:

a) A servidão representou, sobretudo na França e na Península Ibérica, um verdadeiro renascimento da escravidão conforme existia na Roma imperial.
b) As principais instituições sociais que sustentavam as relações entre senhores e servos eram de origem muçulmana, oriundos da longa presença árabe na Europa Ocidental.
c) Mesmo dispondo de grandes propriedades territoriais, os suseranos eclesiásticos não mantinham a servidão nos seus domínios, mas sim o trabalho livre.
d) O sistema de impostos incidia de forma pesada sobre os servos. O imposto da mão morta, por exemplo, era pago pelos herdeiros de um servo que morria para que continuassem nas terras pertencentes ao suserano.
e) Os suseranos leigos, formados pela grande nobreza fundiária, distinguiam juridicamente os servos que trabalhavam nos campos dos que produziam nas cidades.

Questão 03. (UFU-MG) A Alta Idade Média (Século V a X) tem como uma de suas características singulares, que a define historicamente:

a) A consolidação e generalização do trabalho servil.
b) A formação das cruzadas para combater os infiéis do Islã.
c) O desaparecimento dos reinos germânicos no Ocidente.
d) O desenvolvimento, com posterior centralização do poder real.
e) O renascimento comercial, que reorienta a vida econômica feudal.

Questão 04. (UFJF-MG) O islamismo, religião fundada por Maomé e de grande importância na Unidade Árabe, tem como fundamento:

a) A concepção do islamismo vinculado exclusivamente aos árabes, não podendo ser professado pelos povos inferiores.
b) O culto dos santos e profetas através de imagens e ídolos.
c) O monoteísmo, influência do cristianismo e do judaísmo, observado por Maomé entre os povos que seguiam essas religiões.
d) O politeísmo, isto é, a crença em muitos deuses, dos quais o principal é Alá.
e) O princípio da aceitação dos desígnios de Alá em vida e a negação de uma vida pós-morte.

Questão 05. (Vunesp-SP) O islamismo, ideologia difundida a partir da Alta Idade Média em que o poder político confunde-se com o poder religioso, era dotado de certa heterogeneidade, o que pode ser constatado na existência de seitas rivais como:

a) Cristãos e Muezins
b) Politeístas e Monoteístas
c) Sunitas e Cristãos
d) Sunitas e Xiitas
e) Xiitas e Politeístas

Questão 06. (FGV-SP) A hégira, um dos eventos mais importantes do islamismo e que marca o início do calendário islâmico, corresponde:

a) À entrada triunfal de Maomé em Meca em 630.
b) À fuga de Maomé e seus seguidores de Meca para Medina.
c) À revelação de Maomé que lhe foi transmitida pelo arcanjo Gabriel.
d) Ao casamento de Maomé com uma rica viúva, dona de camelos.
e) Ao grande incêndio da Caaba em Meca em 615.

Questão 07. (Fuvest-SP) As feiras na Idade Média constituíram-se:

a) Áreas exclusivas de câmbio das diversas moedas europeias.
b) Instituições carolíngias para renascimento do comércio abalado com as invasões no Mediterrâneo.
c) Instrumentos de comércio local das cidades para abastecimento cotidiano dos seus habitantes.
d) Locais de comércio de amplitude continental que dinamizaram a economia da época.
e) Locais fixos de comercialização da produção dos feudos.

Questão 08. (FVP-SP)A teoria segundo a qual “Deus predestina uma parte do gênero humano a salvar-se e abandona o restante à perdição” foi defendida, na Idade Média, por:

a) Santo Agostinho
b) Santo Tomás de Aquino
c) São Clemente
d) São Gregório Magno
e) São Jerônimo

Questão 09. (Fuvest-SP) Do Grande Cisma do Oriente sofrido pelo cristianismo no século XI, resultou:

a) A divisão da Igreja em Católica Romana e Ortodoxa Grega.
b) A heresia dos Albigenses, condenada pelo papa Inocêncio II.
c) A Querela das Investiduras, que proibia a investidura de clérigos por leigos.
d) A Reforma protestante, que levou à quebra da unidade da Igreja Católica na Europa Ocidental.
e) O estabelecimento dos tribunais da Inquisição pela Igreja Católica.

Questão 10. (Vunesp-SP) A partir do século XII, em algumas regiões europeias, nas cidades em crescimento, comerciantes, artesãos e bispos aliaram-se para a construção de catedrais cm grandes pórticos, vitrais e rosáceas, produzindo uma “poética da luz”, abóbadas e torres elevadas que dominavam os demais edifícios urbanos. O estilo da arte da época é denominado:

a) Barroco.
b) Bizantino.
c) Gótico.
d) Renascentista.
e) Românico.

Questão 11. (Cescem-SP) As corporações de ofício eram organizadas com o objetivo de:

a) Aplicar os princípios religiosos às atividades cotidianas.
b) Combater os senhores feudais.
c) Defender os interesses dos artesãos diante dos patrões.
d) Proporcionar formação profissional aos jovens fidalgos.
e) Proteger os ofícios contra a concorrência e controlar a produção.

Questão 12. (FEI-SP) Os problemas das heranças feudais, que haviam confundido destinos e províncias, tornaram inevitável a Guerra dos Cem Anos entre França e Inglaterra. A eclosão desse conflito:

a) Deu-se no primeiro quartel do século XI, a partir de problemas na sucessão do trono francês sobre o qual a Inglaterra tinha fortes interesses.
b) Teve como causa principal a disputa pela região de Flandes que, feudatária da França, atraía fortes interesses econômicos da Inglaterra.
c) Ocorreu na primeira metade do século XIV, a partir da disputa entre os dois países sobre inúmeros territórios flamengos e italianos.
d) Foi provocada pelas disputas políticas entre a Rosa Vermelha (de Lancaster) e a Rosa Branca (de York)
e) Aconteceu devido a interesses manufatureiros da França sobre Flandes, região feudatária da Inglaterra.

Questão 13. (FGV-Adm) A chamada “crise do século XIV”, na Europa Ocidental, caracterizou-se por um conjunto de fatores como más colheitas, fome, epidemias, rebeliões camponesas e guerras. Pode-se dizer que tais elementos

a) abalaram o sistema feudal, provocando uma acentuada queda demográfica, num processo inverso ao da expansão verificada entre os séculos XI e XIII.
b) contribuíram para o aumento relativo da população das cidades, onde os índices de mortalidade eram menores que no campo.
c) fizeram diminuir as taxas e obrigações senhoriais que recaíam sobre os servos e levaram à adoção da escravidão de africanos nos senhorios feudais.
d) fortaleceram as instituições medievais, principalmente o caráter internacional das universidades.
e) provocaram um enfraquecimento geral da cristandade, sobretudo na península Ibérica, o que permitiu uma nova ofensiva islâmica na região.

Questão 14. (FMABC-SP) “[A peste negra] era transmitida essencialmente pelos parasitas, principalmente as pulgas e os ratos. Era uma doença exótica, contra a qual os organismos dos europeus não tinham defesas. Veio da Ásia pela rota da seda. Veja: a epidemia, essa catástrofe, é, portanto, também um dos efeitos do progresso, do crescimento.”
Georges Duby. Ano 1000 Ano 2000. Na pista de nossos medos.
São Paulo: Editora da Unesp, 1998, p. 80

A partir do texto, que trata do aparecimento da peste negra na Europa do século XIV, podemos dizer que

a) a integração entre regiões diferentes do planeta, provocada pelo comércio e por intercâmbios culturais, também pode contribuir para a disseminação de doenças.
b) as doenças ficam em geral confinadas ao local de manifestação original e quando se alastram para outras áreas não provocam grandes problemas nem geram epidemias.
c) epidemias, como a peste negra, são provocadas pela ira divina e não podem ser tratadas pelos homens, a não ser que a medicina recorra a procedimentos religiosos.
d) más condições de higiene e a falta de um sistema unificado de atendimento médico foram os principais responsáveis pela proliferação dos parasitas que provocaram a peste negra.
e) problemas de saúde, como a peste negra, derivam sempre da miséria social e as epidemias avançam apenas em períodos de crise econômica e conflitos sociais.

Questão 15. (ENEM 2001) O texto abaixo reproduz parte de um diálogo entre dois personagens de um romance.

- Quer dizer que a Idade Média durou dez horas? – Perguntou Sofia.
- Se cada hora valer cem anos, então sua conta está certa. Podemos imaginar que Jesus nasceu à meia-noite, que Paulo saiu em peregrinação missionária pouco antes da meia-noite e meia e morreu quinze minutos depois, em Roma. Até as três da manhã a fé cristã foi mais ou menos proibida. (…) Até as dez horas as escolas dos mosteiros detiveram o monopólio da educação. Entre dez e onze horas são fundadas as primeiras universidades.
(Adaptado de GAARDER, Jostein. O Mundo de Sofia, 


Romance da História da Filosofia. São Paulo: Cia das Letras, 1997).

O ano de 476 d.C., época da queda do Império Romano do Ocidente, tem sido usado como marco para o início da Idade Média. De acordo com a escala de tempo apresentada no texto, que considera como ponto de partida o início da Era Cristã, pode-se afirmar que

a) as Grandes Navegações tiveram início por volta das quinze horas.
b) a Idade Moderna teve início um pouco antes das dez horas.
c) o Cristianismo começou a ser propagado na Europa no início da Idade Média.
d) as peregrinações do apóstolo Paulo ocorreram após os primeiros 150 anos da Era Cristã.
e) os mosteiros perderam o monopólio da educação no final da Idade Média.


Questões para Redação e Reflexões Conceituais
Questão 01. (Fuvest-SP) A partir do século XI, na Europa ocidental, os poderes monárquicos foram lentamente se reconstituindo e em torno deles surgiram os diversos Estados nacionais. Explique as razões desse processo de centralização política.

Questão 02. (Vunesp) A Idade Média pode ser caracterizada por um longo processo de desenvolvimento e de lenta dissolução das relações servis de produção. Relacione os fatores históricos estruturais e conjunturais que contribuíram e influíram na formação do sistema medieval.

Questão 03. Como se estruturava a sociedade medieval?

Questão 04. (Mauá-SP) Qual a diferença entre as obrigações de um vassalo e as de um servo, na sociedade medieval?

Questão 05. (Fuvest - 2008) Se, para o historiador, a Idade Média não pode ser reduzida a uma “Idade das Trevas”, para o senso comum, ela continua a ser lembrada dessa maneira, como um período de práticas e instituições “bárbaras”. Com base na afirmação acima, indique e descreva:

a) duas contribuições relevantes da Idade Média.

b) duas práticas ou instituições medievais lembradas negativamente.

Respostas

Questões de ENEM e Vestibular
Questão 01. Letra E
Questão 02. Letra D
Questão 03. Letra B
Questão 04. Letra C
Questão 05. Letra D
Questão 06. Letra B
Questão 07. Letra D
Questão 08. Letra A
Questão 09. Letra A
Questão 10. Letra C
Questão 11. Letra E
Questão 12. Letra B
Questão 13. Letra A
Questão 14. Letra A
Questão 15. Letra A


Questões para Redações e Reflexões Conceituais
Questão 01. O processo de centralização política ocorreu sob a forma de monarquias nacionais: a burguesia e o rei se aliavam para acabar com os entraves ao comércio e aumentar o poder real. Desde o renascimento comercial e urbano, no século XI, os sistema feudal era um obstáculo ao desenvolvimento comercial, com vários pedágios e tributos, pesos e medidas diferentes de feudo para feudo.

Questão 02. Espera-se que o aluno descreva que o sistema feudal foi resultado da lenta integração, ocorrida entre os séculos V e IX, de estruturas romanas e germânicas. As bases romanas do feudalismo encontra-se no processo de ruralização do Império, surgimento de vilas (origem dos feudos) e na relação de trabalho chamada de colonato (origem da servidão). As bases germânicas são as relações de suserania e vassalagem, originados do comitatus germânico, e por fim, o direito consuetudinário que era baseado nos costumes e não na lei escrita.

Questão 03. A sociedade feudal era estamental, ou seja, não havia mobilidade social. Haviam três ordens, como descrito no "Documentos da Idade Média: Das três ordens ao comércio na China": O clero, os nobres e os servos. Os senhores feudais (que podem ser representantes do Clero e da Nobreza) eram os proprietários dos feudos. A maioria da população era composta de servos e vilões. Os servos eram camponeses semilivres, presos à terra. Os vilões não estavam presos à terra, mas deviam várias obrigações ao senhor feudal.

Questão 04. O vassalo pertencia à nobreza feudal e, em troca da doação de uma parcela de terra, devia ao suserano (o doador) obrigações, como colocar seu exército à disposição dele, dar-lhes hospedagem e contribuir para o dote de seus filhos. Um servo trabalhava nas terras de um senhor feudal, fosse suserano ou vassalo. O servo devia, pelo uso de um lote do feudo, a corveia, a talha e a banalidade.

Questão 05.
a) Contribuições relevantes: arquitetura gótica, representada sobretudo pelas catedrais e caracterizada pela monumentalidade, verticalidade e novos recursos arquitetônicos, com destaque para o arco ogival ou gótico; e as “grandes invenções” – pólvora, bússola, papel e imprensa – que, embora parcialmente de origem chinesa, foram introduzidas na Europa e aperfeiçoadas na Idade Média; tais invenções tiveram extraordinária importância para o desenvolvimento intelectual e para a expansão geográfica que floresceriam no início dos tempos modernos. 
b) Práticas ou instituições lembradas negativamente: a prática da bruxaria, em decorrência da ignorância predominante na época; e a instituição do Tribunal da Inquisição, com o emprego sistemático da tortura em seus interrogatórios.
Reações: